Relatório FipeZap

Índice FipeZap de Vendas Residencial acumula queda nominal de 0,38% nos últimos 12 meses

Pela segunda vez consecutiva, o índice encerra julho próximo da estabilidade. Mesmo em cidades que registraram aumentos, como Florianópolis (+3,11%) e São Paulo (+2,18%), variações ficaram abaixo da inflação do período

Índice FipeZAP  encerrou julho próximo da estabilidade, com variação de -0,07% em relação a junho. De acordo com o Boletim Focus do Banco Central, a inflação mensal esperada* para o mês é de 0,30% (IPCA/IBGE).

Último mês: o comportamento dos preços residenciais em julho de 2018 não foi homogêneo entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZAP. Avaliadas individualmente, apenas 5 das 20 cidades monitoraras registraram aumento mensal de preço acima de +0,1%, com as altas mais expressivas foram observadas em: Goiânia (+0,40%), Distrito Federal (+0,40%) e Contagem (+0,38%). Por outro lado, entre as 8 cidades monitoradas que apresentaram queda nominal no preço inferior a -0,10% em julho, os recuos mais expressivos foram notados em: Niterói (-0,54%), Rio de Janeiro (-0,46%) e Curitiba (-0,44%). Os preços residenciais de venda nas demais cidades (7 no total) permaneceram próximos da estabilidade, com variações mensais entre +0,10% e -0,10%.

fipezap-venda-julho

Balanço parcial de 2018: até julho, o preço médio de venda residencial recuou 0,23%, em termos nominais, o que corresponde a uma queda real de 3,05%, considerando a inflação acumulada de 2,91% no período (IPCA/IBGE). Individualmente, 10 das 20 cidades monitoradas registraram queda nominal no preço de venda residencial (inferior a – 0,10%), entre elas: Rio de Janeiro (-2,46%), Niterói (-2,12%) e Fortaleza (-0,88%). Já entre as 10 cidades com variação no preço acima de 0,10%, a alta acumulada foi mais expressiva: em São Caetano do Sul (+2,49%), São Paulo (+1,42%) e Vila Velha (+1,40%). Em Santo André, Curitiba e Campinas, os preços residenciais de venda permanecem próximos da estabilidade em 2018 (nominalmente), com variações de preço entre -0,10% e +0,10%.

Últimos 12 meses: entre julho de 2017 e julho de 2018, o Índice FipeZAP aponta recuo nominal de 0,38% no preço médio de venda de imóveis residenciais. Nesse intervalo, 9 das 20 cidades pesquisadas apresentaram queda nominal no preço, entre as quais vale citar: Rio de Janeiro (-4,57%), Niterói (-3,06%) e Santos (-2,54%). Considerando aquelas cidades em que houve aumento nominal do preço médio, as maiores variações foram registradas em Florianópolis (+3,11%), São Caetano do Sul (+2,99%) e Vitória (2,28%). Finalmente, os preços praticamente estáveis nos últimos 12 meses em Campinas (+0,05%) e Porto Alegre (+0,05%). Vale ressaltar que todas as cidades monitoradas apresentaram variação de preço inferior à inflação acumulada no período (4,63%), Como resultado, o Índice FipeZAP acumula queda real de 4,63% nos últimos 12 meses.

fipezap-venda-julho

Preço médio de venda residencial: em julho de 2018, o valor médio de venda dos imóveis residenciais nas 20 cidades monitoradas foi de R$ 7.534/m². Rio de Janeiro se manteve como a cidade com o m² mais elevado do país (R$ 9.512/m²), seguida por São Paulo (R$ 8.797/m²) e Distrito Federal (R$ 7.785/m²). Já as cidades monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m² foram Contagem (R$ 3.512 /m²), Goiânia (R$ 4.151m²) e Vila Velha (R$ 4.704/m²)

fipezap-residencial-venda-julho

 

Nota (*): informações do Boletim Focus do Banco Central. A variação real efetiva será conhecida apenas após a divulgação do IPCA/IBGE de julho/2018

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *