Dicas para Corretor

Veja como tirar boas fotografias em ambientes com pouca luz

A máxima “uma imagem vale mais que mil palavras” no universo imobiliário faz muito sentido. Afinal, na grande maioria das vezes, o corretor de imóveis só recebe um contato de interesse depois que o cliente em potencial é impactado por uma foto atrativa em sua busca por imóveis.

dicas de fotografia
Para minimizar a vibração na hora do clique é essencial, e a melhor forma para fazer isso é utilizando um tripé (Foto: Shutterstock)

Com isso, é comum que todo corretor acabe desenvolvendo um pouco de seu lado fotógrafo para melhorar as vendas. Mas o grande problema aparece quando um imóvel possui pouca luz. Fotos escuras tendem a diminuir o ambiente e a esconder detalhes importantes para o comprador, além, é claro, de ficarem visualmente feias.

+ Aprenda a fotografar imóveis com seu smartphone

+ Veja dicas de como não errar na fotografia imobiliária

Para Lauro Rocha, fotógrafo especializado em retratar arquitetura e interiores, quando o equipamento utilizado é amador e não contém muitas funcionalidades, o ideal é “entender a orientação dos imóveis para saber em que horário determinados ambientes estarão mais iluminados”. Ou seja, um dos mais importantes conhecimentos do corretor, o posicionamento do sol, pode fazer toda a diferença.

Com a informação do melhor horário do sol no ambiente, o ideal é chegar um bom tempo antes ao local para estudar os melhores ângulos e testar a iluminação natural. “Observe o lugar e os recursos que estarão em mãos antes de fotografar, a paciência é um bom recurso nessas horas”, explica o fotógrafo Fernando Banzi.

Há ainda mais algumas dicas que podem otimizar a fotografia de imóveis com pouca luz. Veja:

Investir em um tripé

A baixa luminosidade torna mais difícil um clique objetivo e nítido. Por isso, ter um suporte para manter o dispositivo fotográfico estável é a primeira dica dos fotógrafos profissionais. Minimizar a vibração na hora do clique é essencial e a melhor forma para fazer isso é utilizando um tripé. Caso não tenha, é preferível posicionar a câmera em cima de uma bancada, estante ou algo plano do que mantê-la em mãos.

Explorar os recursos disponíveis

“Na maioria dos smartphones, existe a função HDR. Geralmente essa opção fica próximo ao flash, habilite e abuse deste recurso” é mais um dos conselhos de Fernando Banzi. O HDR pode ser um aliado pois ajuda no balanço de cores. No entanto, seu uso também se torna mais eficaz se a câmera estiver acoplada em um tripé.

+ Saiba como colocar em prática a técnica de home staging

+ Conheça a técnica utilizada para vender imóveis mais rápido

Evitar o flash

Para ambientes fechados, flashes de celulares e câmeras compactas não são boas opções, mas se houver necessidade de lançar mão do recurso, o melhor é “usar uma folha em branco dobrada para cima na frente do flash. A luz dele vai rebater da folha para o teto, simulando a ideia do flash externo”, explica Banzi.

Investir em fotografia profissional

Além de seguir as dicas acima ou investir em equipamentos mais avançados para fotografar os imóveis que serão colocados à venda, contar com um olhar técnico pode fazer toda a diferença. De acordo com Lauro Rocha, esta opção é um benefício para as vendas: “contratar um fotógrafo para registrar bem os espaços pode ser uma boa solução, visto que investir num profissional pode alavancar as vendas”.

+ Gostou das dicas? Aproveite e deixe seu comentário!

+ Faça seu cadastro no ZAP Pro e receba as novidades!

+ Aprenda a fotografar imóveis com seu smartphone

+ A importância das fotos para o mercado imobiliário

+ Fotógrafos dão dicas para o corretor tirar boas fotos do imóvel